quinta-feira, 25 de agosto de 2011

São João del-Rei: do Dia de São Bartolomeu à Declaração Universal dos Direitos Humanos


Talvez para os muito antigos, não tenha sido sem motivo que - exatamente no dia 25 de agosto de 1719 - o Conde de Assumar, em São João del-Rei, tenha oficiado ao Senado da Câmara local informando sobre o equipamento bélico da cidade (post anterior). É que para os são-joanenses de muito tempo nesta época do mês de agosto, com o mesmo furor que na Quaresma, o Diabo estava livre e solto na Terra, acendendo discórdias, incendiando iras e abrasando intolerâncias, que espalha em ventanias e redemoinhos.

Senhor de si e do mundo, há quem creia que o "Inimigo" ainda hoje provoca revoltas naturais e discórdias humanas, que resultam em tragédias, e o exemplo maior foi o conflito religioso entre católicos e protestantes que aconteceu em Paris em 1572, no tempo divisor entre os dias 23 e 24 de agosto. Ao massacrarem cruelmente os adversários de fé, os católicos, insanamente, obedeceram ao Espírito das Trevas, fazendo correr muito sangue.

Para os católicos que ainda se lembram, 24 de agosto é dia dedicado a São Bartolomeu, apóstolo de Cristo pacífico e manso, protetor dos padeiros, alfaiates e sapateiros. Para o povo do candomblé, é dia de Oxumaré, o arco-íris filho do fogo da terra com as águas paradas.

Os tempos atuais enfraquecem sabedorias contidas em crenças populares, como a apreensão e cautela com o dia de São Bartolomeu - símbolo  da impotência do homem diante de fenômenos naturais, de instabilidades de toda ordem e de sofrimentos que podem advir das atitudes humanas intolerantes. Por isso, é bom lembrar que em 26 de agosto de 1789 - portanto há 222 anos, quando em São João del-Rei e em outras vilas de Minas crepitava a Inconfidência Mineira - em Paris a Assembléia Constituinte, no coroar da Revolução Francesa, aprovou a Declaração Universal dos Direitos do Homem e do Cidadão. Documento magno da humanidade, mundialmente consagrado, é tão mais observado quanto mais as sociedades, os povos e as nações se tornam evoluídos.


Acesse
 http://www.oas.org/dil/port/1948%20Declara%C3%A7%C3%A3o%20Universal%20dos%20Direitos%20Humanos.pdf 
e conheça, na íntegra, a Declaração Universal dos Direitos Humanos. No link abaixo, veja um trecho do filme A Rainha Margot, enredado no conflito de 1572.

...........................................................................
Ilustração da abertura: detalhe de túmulo do Cemitério de São Francisco de Assis, de São João del-Rei (foto do autor)

Nenhum comentário:

Postar um comentário