Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2017

São João del-Rei 2007-2017: Dez anos Capital Brasileira da Cultura

Há dez anos, em 2007, São João del-Rei recebeu um título de grande valor: "Capital Brasileira da Cultura". Mais do que uma simples homenagem, essa honraria foi a expressão nacional de reconhecimento da importância de nossa terra para a educação, as ciências, as artes - enfim para a cultura de nosso país.

No mesmo sentido, merecidamente, no ano seguinte, São João del-Rei se autodeclarou "Capital Brasileira da Cultura para Sempre" - uma iniciativa muito lúcida, pois o significado de uma história como a nossa 'não tem prazo de validade'!

Como Capital Brasileira da Cultura, durante todo o ano de 2007 nossa cidade sediou uma série de eventos que movimentaram ainda mais a vida cultural de São João del-Rei, que normalmente já é sempre muito intensa.

Em dezembro daquele ano, quando a cidade preparava-se para cumprimentar a nova cidade-irmã que também receberia "o título, a faixa, o cetro e a coroa", a Secretaria da Cultura de Minas Geras lançou uma ediçã…

Em São João del-Rei o come-quieto come melhor debaixo de seu próprio teto

A culinária de Minas tem lugar de destaque na cozinha brasileira. Dos saborosos e fartos pratos dominicais e festivos, capitaneados pelo lombo com tutu ou pelo feijão tropeiro, com arroz branco, couve e um enorme séquito de acompanhamentos,  onde se destacam o torresmo, a farofa, a maionese caseira, até o trivial feijão com arroz mais simples, feito à hora com verduras e legumes colhidos nos canteiros do quintal, que começa na porta da cozinha, e um ovo caipira frito, pego no ninho do galinheiro. Cachaça. Caipirinha de limão rosa ou de limão galego.Tudo que se come e se bebe na casa mineira é tão sagrado quanto foram o pão e o vinho na santa e última Ceia de Cristo com os apóstolos.
Talvez desse modo se explique o fato de, em sua terra, o mineiro nato não ser tão chegado a comer fora. O come-quieto sabe que o que há de melhor é o que ele come sob seu teto. Mas para ele, no rotineiro dia a dia, da porta da rua para fora, também tem pedaços do Paraíso; alguns espaços se salvam. São os …