quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Setembro: um mês inteiro de festa, fé e flor em São João del-Rei


Mesmo que não se explicite, setembro é um dos meses mais ricos da cultura religiosa barroca de São João del-Rei. Desde o dia primeiro até o dia 30, são 44 atividades, entre novenas, ofícios, tríduos e procissões, divididas em oito grandes grupos:  Bom Jesus dos Montes, Bom Jesus de Matosinhos, Bom Jesus do Perdão, Santa Cruz e Nossa Senhora das Dores, as Chagas de São Francisco, Nossa Senhora das Mercês, São Miguel Arcanjo e morte de São Francisco.

Programação tão vasta envolve as paróquias do Pilar (Matriz e Mercês), de São Francisco, do Senhor dos Montes e de Matosinhos, o que possibilita que muitas vezes dois ou três eventos sejam realizados no mesmo dia,

O espírito barroco é tão presente na alma do povo são-joanense que, vencendo os desafios de uma modernidade pasteurizadora e sufocante, as celebrações não perdem força nem desbotam sua importância. Pelo contrário, cada ano mais elas reluzem esplendor, resgatando em tradição a grandeza, o brilho e a fé de tempos passados.

Em 2015, por exemplo, foi assim com as comemorações relativas à Santa Cruz e a Nossa Senhora das Dores, promovidas na matriz do Pilar pela Irmandade de Bom Jesus dos Passos. Para as missas e ofícios próprios para a ocasião, as imagens foram enfeitadas com orquídeas doadas pelos devotos e, pela primeira vez, o Passinho da Piedade, no Largo do Rosário, ficou aberto durante todo o dia 15 deste mês, para visitação dos fiéis.

Costumeiramente, os únicos dias do ano em que o passinho ficava aberto era Sexta-Feira das Lágrimas, Quinta-Feira Santa e Sexta-Feira da Paixão.


................................................
Texto e foto: Antonio Emilio da Costa




terça-feira, 1 de setembro de 2015

São Raimundo Nonato. O santo que nasceu depois da morte em São João del-Rei



Se depender dos santos que são cultuados na cidade, os são-joanenses já moram no céu. Por todo lado se vê santos e anjos, alguns ostentando símbolos e insígnias, outros orando, cantando ou voando - todos sentenciando que o destino e a morada do homem é a felicidade.

Sem dúvida, é um número sem fim de devoções e seu culto ocupa praticamente todos os dias do ano, mas com o passar do tempo, muito está se perdendo. É mais fácil dizer que isto é culpa da televisão, da internet e de outras modernidades, mas a verdade é que este esgarçamento da memória muito se deve a um certo comodismo e desmazelo cultural e religioso dos pais, que não transmitem tanto aos filhos a força, a beleza, o significado, a importância e a riqueza destas tradições que são singulares, únicas mesmo de nossa cidade.

Uma destas devoções hoje bastante fragilizadas é a de São Raimundo Nonato, cuja data celebrativa de suas virtudes é 31 de agosto. Um dos escudeiros de Nossa Senhora das Mercês, é protetor dos aflitos, principalmente das que estão em perigo na hora do parto, pois ele nasceu após a morte de sua mãe, pouco antes de lhe dar à luz. Daí seu sobrenome Nonato, que significa não nascido como todos os homens.

Com sua capa vermelha, carregando na mão direita a palma com três coroas de ouro e na mão esquerda uma custódia, ele é um dos escudeiros de Nossa Senhora das Mercês e sai com ela em procissão no dia 24 de setembro, juntamente com São Pedro Nolasco.

Os devotos de São Raimundo Nonato o invocam com este responsório:

              Se desejas no perigo
              um auxílio poderoso
              acha-lo-ás invocando
              a São Raimundo glorioso.

              Sempre benigno socorre
              nos momentos dolorosos.
              Às senhoras presta alívio
              em seus partos perigosos.          
           
               Quem seu patrocínio implora
               nunca será desprezado.
               Seja Ele nosso Guia
               que nos livre do pecado.

               Rogai por nós, São Raimundo!
             
........................................................................
Responsório e foto - https://www.facebook.com/arquiconfraria.dasmerces?fref=ts