sábado, 30 de julho de 2011

Em São João del-Rei, agora, a festa e os vivas são para Nosso Senhor Bom Jesus do Bonfim


Parece exagero dizer, mas em São João del-Rei a festa não para. Antes mesmo de acabar o festival Inverno Cultural, os são-joanenses já deram início a outro ciclo de festas, desta vez de caráter religioso, que vai durar até o fim do ano. Serão, no mínimo, 12 eventos  e o primeiro - a Festa do Bonfim - já está em curso. Logo em seguida, vem a Festa de Nossa Senhora da Boa Morte.

As comemorações anuais em homenagem a Nosso Senhor do Bonfim começaram ontem, sexta-feira 29, com novena que atravessa toda a semana até que, no domingo (7), uma alvorada festiva, às seis horas da manhã, lembrará à cidade que se trata de um dia especial: o primeiro dos dois domingos que São João del-Rei reserva para festejar o Senhor Bom Jesus. Do Bonfim e dos Montes.

A pequenina e humilde capela do Bonfim, dizem, é a mais antiga da cidade. Fica em uma localização privilegiada, bastante alta e arejada. De lá se contempla a face antiga e serena de São João del-Rei, murada pela azul-roxeada Serra do Lenheiro. Do outro lado da serra, onde se catava e escavava ouro, o sol ainda deita para dormir.

No começo do entardecer do primeiro domingo de agosto, a procissâo do Senhor Bom Jesus do Bonfim é um cortejo singelo, despojado e gracioso. Desce e contorna o setecentista tenebroso Morro da Forca onde - na praça central, para apagar as sombras do instrumento homicida - plantou-se um Cruzeiro da Penitência, com todas as insígnias da Paixão. Vem até o imponente templo de São Francisco de Assis, obra-prima primorosa do Aleijadinho, e torna a subir para o seu alto.

O pequeno andor em que vai o crucificado, bastante enfeitado, segue alegre ao ritmo da banda, acompanhado pelos devotos - pessoas simples, sorridentes, sentimentais, que levam no peito um coração de antigamente. Mesmo pregado na cruz, ali Jesus não sofre nem agoniza. Sempre bondoso, apenas perdoa e abençoa.

O tempo passa, os séculos seguem, a vida se esvai. Mas o coração daquela gente continua o mesmo. Devotado, alegre,  contrito...

2 comentários:

  1. "...levam no peito um coração de antigamente". Adorei! Que Nosso Senhor do Bonfim abençoe nossa terrinha! Vontade de estar lá na minha João da Mata pra ver a procissão!
    Compartilhei!
    Abçs

    ResponderExcluir
  2. Pois é, né KK, se todo são-joanense soubesse o quanto São João é pródiga e generosa certamente cuidaria melhor do "coração de antigamente" que você tanto gostou.

    Também eu, se pudesse, gostaria de testemunhar o entardecer do próximo domingo naquelas montanhas.

    Acompanhemos na lembrança...

    Grande abraço pr'ocê tamém!

    ResponderExcluir