quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Na São João del-Rei das beiras-seveiras, entre encruzilhadas e esquinas

Este fim de janeiro, quando São João del-Rei começa a se despedir do festival gastronômico Happy Hour, que chegou à cidade juntamente com o ano de 2013  e vai até o primeiro fim de semana de fevereiro, é o momento certo para se lembrar de um interessante espaço gastronômico-cultural surgido em fins dos anos 80 "na rua mais antiga, mais poética e mais bonita da cidade" - o Beira Seveira Bar e Restaurante.

Instalado no número 17 da Rua Santo Antônio, a ele se chegava descendo por uma estreita escadaria  que se abria do estreito vestíbulo e levava para um lugar inusitado: um porão colonial, sustentado por várias colunas de pedra construídas na metade do século XVIII. Eram elas que projetavam para o alto o casão, colocando-o no nível da rua calçada com pedras pretas pé-de-moleque.

Sua iluminação, vazada de lampiões e arandelas, acentuava o clima de mistério, criado a partir dos bancos e mesas de antiquário e de muitos utensílios e utilitários de estanho e cobre. Ao fundo, nas paredes também de pedra, intrigantes obras de arte.

O cardápio, assim como o nome do restaurante, homenageavam elementos da mineração, da arquiterura e do urbanismo local de três séculos. Rocalha, água-furtada, beiral, cascalho, voluta, cimalha, cangalha, aldabra, bateia, gamela e outros davam nomes a pratos, petiscos, tira-gostos, bebidas e drinks. Tudo feito com os melhores produtos, o cuidado e o zelo que são próprios da culinária mineira, sobretudo da que se desfruta na região.

O cardápio artístico cultural não deixava nada a desejar: o melhor da música popular mineira preenchia ao vivo todo o espaço, quando não cedia lugar para o teatro de bonecos, apresentações teatrais, saraus poético-literários e lançamento de livros. No Beira Seveira se saciava as fomes do corpo, da alma e do espírito.

Floresceram-se primaveras, aqueceram-se verões, amadureceram-se outonos e chegaram-se também invernos. Depois de algum tempo, o Beira-Seveira mudou-se para outra cidade, mas não resistindo à saudade da Rua Santo Antônio e de São João del-Rei, despediu-se e fechou as portas.

"Aconchego, música, fogão de lenha, tudo com gosto do bem feito, num ambiente especial,
 único em São João del-Rei, na rua mais antiga, mais poética e mais antiga da cidade."

Era isso o que o Restaurante e Bar Beira-Seveira prometia e oferecia. É assim que ele ficou na recordação de quem o conheceu e frequentou naqueles tempos, e até hoje o frequenta, em lembrança, memória e saudade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário