terça-feira, 29 de abril de 2014

Santeiros de hoje mantêm vivo o ofício de trazer o céu para o chão nas terras de São João del-Rei


Os séculos passam, as gerações se renovam mas, em São João del-Rei a grande intimidade que existe entre o humano e o divino não enfraquece. No século XVIII, grandes artistas esculpiram, no Arraial Novo de Nossa Senhora do Pilar do Rio das Mortes, belas imagens barrocas, também encarnadas e vestidas pelo povo do lugar. Estas magníficas obras de arte até hoje são admiradas nas igrejas, em altares e andores, e no Museu de Arte Sacra de São João del-Rei.

No século XXI esta produção continua, com a mesma qualidade, quantidade, criatividade e intensidade. Prova disto é a exposição Escultores do Sagrado - escultores sacros da atualidade são-joanense, aberta à visitação pública no Memorial Dom Lucas Moreira Neves, de 4 de abril a 4 de maio. Nela, algumas obras mostram o potencial criativo, o domínio técnico e a capacidade escultórica dos atuais escultores sacros de São João del-Rei, ali representados por Carlos Calsavara, Fernando Pedersini, Miguel Ávila e Ronaldo Nascimento.

O apurado desempenho criativo, estético, sensível e técnico dos novos santeiros são-joanenses , inspirados na iluminação dos artistas e artífices locais dos séculos XVIII e XIX, faz com que a arte sacra de São João del-Rei continue transpondo as muralhas da Serra do Lenheiro, para ser admirada em outras terras. Mineiras, brasileiras e, até, estrangeiras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário