terça-feira, 6 de novembro de 2012

No retrovisor, São João del-Rei



Colhido no blog Tertúlia Pão de Queijo http://www.tertuliapaodequeijo.com/2012/07/no-retrovisor-sao-joao-del-rei.html, o poema abaixo, de Ronald Clever, é delicado retrato de São João del-Rei, em palavras, imagens, emoções e sentimentos...

Os sinos de São João del-Rei não badalam em vão.
São irmãos nos acordes e, em romaria,
acordam os possíveis pecados e pesadelos
que ficaram nos vãos da Rua da Cachaça.

Um passarim marrom é fina flauta
nas palmeiras de São Francisco de Assis.

O Lenheiro escorre a memória da cidade
em seu tênue e fino fio de água.

O rei e o santo atravessam, em procissão, a ponte da Cadeia.
Bárbara, ainda bela, repousa eterna na alcova inconfidente.
"Beija-me com os beijos de sua boca". Éo mascate Salomão
cantando para a Baronesa, que do alto da sacada,
travestida em Sabá, retruca: "Beba-me com a sede de seus rios".

O sino do Rosário fia seu terço, o das Dores chora em cantochão.
E os sinos irmanados de São João del-Rei vão
acordando os homens que vêm e vão.

Ronald Claver
SJDR, 20-07-2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário