Pular para o conteúdo principal

Novena de Nossa Senhora do Carmo: orvalhada pétala musical e barroca de São João del-Rei

Desde o dia 7 deste julho - e até o dia 15 do mesmo mês -, acontece toda noite, em São João del-Rei um evento divino e sublime, que mistura arte, fé, música, imaginação, história, perfume, lembrança, memória, graça, cultura, alegria, recordação, beleza, encantamento e tradição. É a Novena do Carmo, que prepara o coração e os sentidos do povo são-joanense para as pomposas celebrações que, no dia 16, vão homenagear Nossa Senhora do Carmo.

Virgem de devoção muito popular em várias cidades históricas de Minas Gerais, em São João del-Rei seu culto é especialmente grandioso  e começou em 1727, na Matriz do Pilar, com a Confraria do Escapulário. Criada a Irmandade do Carmo, em 1732, logo deu-se início à construção da igreja, que é considerada um dos seis mais belos templos criados por Aleijadinho. Em 1746 a Irmandade foi elevada a Ordem Terceira.

A Novena de Nossa Senhora do Carmo, celebrada em São João del-Rei é barroca, composta por músicos são-joanenses setecentistas e oitocentistas e executada por ninguém menos do que a Orquestra Ribeiro Bastos.

Tal novena foi gravada há 36 anos em um disco de vinil, que hoje é raridade. Há poucos anos, foi novamente gravada em um CD independente que, por sua pequena tiragem, é pedra preciosa a ser garimpada na cidade. Não é muito fácil, mas vale a pena esforçar-se para encontrá-lo, pois tem peças delicadas, compostas pelo Padre José Maria Xavier, Jerônimo de Souza Lobo, Manuel Dias de Oliveira e João Francisco da Matta.

Conheça, abaixo, um trecho da Novena de Nossa Senhora do Carmo, gravado em 2008. Registro histórico importante, que mostra à frente da Orquestra Ribeiro Bastos a grande e saudosa maestrina Maria Stella Neves Valle.


Sobre a Festa do Carmo em São João del-Rei, leia também:
. http://diretodesaojoaodelrei.blogspot.com.br/2012/07/o-fotografo-que-viu-o-ceu-nas-barrocas.html
. http://www.diretodesaojoaodelrei.blogspot.com.br/2012/07/festa-barroca-de-nossa-senhora-do-carmo.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O dia em que os sinos de São João del-Rei chamaram para um programa de televisão

Para quem nasceu, viveu ou vive em São João del-Rei, o toque de um sino é sempre um chamado: para uma missa, para uma novena, para uma procissão, para um enterro, para uma bênção, para uma Via Sacra, para um Te Deum.

Mesmo quando não se está na cidade é assim. Assistindo a qualquer filme ou vídeo lá gravado no centro histórico, é possível saber a que horas ocorreu aquela cena simplesmente ficando atento às pancadas que de vez em quando bate o sino-relógio da Matriz do Pilar.

Na quarta-feira da semana passada, dia 16 - coincidentemente dia festivo na cidade, consagrado a Nossa Senhora do Carmo - os são-joanenses em São João del-Rei e em todas as partes do Brasil, na metade da manhã, surpreenderam-se com o toque dos sinos chamando-os para um lugar inusitado: para a frente da televisão.

Não que o aparelho estivesse no alto de uma torre ou sobre um altar, mas é que em sua tela a apresentadora Ana Maria Braga e seu "escudeiro" Loro José apresentaram uma reportagem de oito minuto…

Em São João del-Rei não se duvida: há 250 anos, Tiradentes bem andou pela Rua da Cachaça...

As ruas do centro histórico de São João del-Rei são tão antigas que muitas delas são citadas em documentos datados das primeiras décadas do século XVIII. Salvo poucas exceções, mantiveram seu traçado original, o que permite compreender como era o centro urbano são-joanense logo que o Arraial Novo de Nossa Senhora do Pilar do Rio das Mortes tornou-se Vila de São João del-Rei.
O Largo do Rosário, por exemplo, atual Praça Embaixador Gastão da Cunha, surgiu antes mesmo de 1719, pois naquele ano foi benta a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, nele situada e que originalmente lhe deu nome. Também neste ano já existia o Largo da Câmara, hoje, Praça Francisco Neves, conforme registro da compra de imóveis naquele local, para abrigar a sede da Câmara de São João del-Rei. A Rua Resende Costa, que liga o Largo do Carmo ao Largo da Cruz, antigamente chamava-se Rua São Miguel e, em 1727, tinha lojas legalizadas, funcionando com autorização fornecida pelo Senado da Câmara daquela Vila colonial.  Por …

Santa Clara, clareai minha São João del-Rei!

São João del-Rei é um lugar onde o viver feliz requer, dia e noite, céu aberto. Suas ruas estreitas e sinuosas, seus becos, jardins e largos são palcos públicos onde desde sempre tudo acontece, para todos. O entusiasmo, a vitalidade e a alegria dos são-joanenses precisam de céu limpo para se materializar como procissões, desfiles de carnaval, cortejos, concertos, serenatas, cinema,teatro, recitais e retretas - tudo ao ar livre.

Antigamente, nos tempos românticos que duraram até os anos setenta, era comum as pessoas ficarem nas janelas ou sentadas na calçada ou soleira da porta de suas casas, olhando o tempo e a vida passar. Algumas vezes por dia iam dar uma volta na rua, para comprar a verdura e a carne do almoço, encontrar com os conhecidos, ler o Jornal do Poste, saber quem morreu ou se internou e mandar lembrança para os amigos.

Tudo a céu aberto. Podiam até levar sombrinha ou guarda-chuva, tanto se prevenindo de algum aguaceiro quanto se protegendo do sol forte. Dor de cabeça? Me…