sexta-feira, 30 de maio de 2014

Os faustosos 300 anos e a Memória Arquitetônica de São João del-Rei


Apesar de pouco conhecida, é grande a produção acadêmica, de historiadores e de pesquisadores sobre São João del-Rei. A história da cidade desde a chegada dos bandeirantes, a descoberta do ouro e o surgimento do Arraial Novo de Nossa Senhora do Pilar, em 1703. A criação da Vila de São João del-Rei, em 1713, tendo no nome uma homenagem ao Rei Sol Português, Dom João V.

Toda a evolução sócio-geopolítico-cultural  da cidade e a preservação, viva, de sua cultura barroca: as tradições religiosas mundialmente singulares, a música colonial produzida na região e até hoje executadas pelas bisseculares orquestras são-joanenses. Além disso, outros fatores que, ao longo dos séculos XIX e XX, continuaram influenciando a vida de São João del-Rei, entre eles a chegada da estrada de ferro, a industrialização, o desenvolvimento urbano e muitos outros.

Hoje, à noite, ainda comemorando os 300 anos de instituição da Vila de São João del-Rei, os são-joanenses ganham um novo presente: o livro Memória Arquitetônica da Cidade de São João del-Rei, de autoria do arquiteto são-joanense André Dangelo, em parceria com a historiadora Vanessa Brasileiro. O lançamento será às 19 horas, no Centro Cultural Feminino, que fica na Rua da Cachaça, à direita de que desce o Beco do Capitão do Mato.

Este, aliás, é o segundo valioso presente que André e Vanessa oferecem a São João del-Rei pelo tricentenário da Vila. Nos últimos dias de 2013, no mesmo local, eles brindaram os são-joanenses com o livro Sentinelas Sonoras de São João del-Rei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário