terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Sinos de São João del-Rei. "Sentinelas Sonoras" de meu coração


No crepúsculo de 2013, como mais um presente pelos 300 anos da elevação do Arraial Novo de Nossa Senhora do Pilar do Rio das Mortes a Vila de São João del-Rei, nossa cidade recebeu um presente tão valioso quanto raro. Um inventário e uma radiografia daquela que é uma das mais singulares manifestações culturais de Minas e do Brasil - as vozes de bronze que do alto das torres, em linguagem muito antiga, desde o século XVIII conclamam para o regozijo e para o pranto: os sinos de nossa terra. 

Quem presenteou foi um homem nobre e digno, a quem a cidade muito deve, pelo tanto que ele contribui, com produção intelectual e tecnico-arquitetônica para a preservação do patrimônio de São João del-Rei - o arquiteto André Guilherme Dornelles Dangelo, ou simplesmente André Dangelo.

- Mas, afinal, o que foi este presente tão badalado?
- Ora, o livro Sentinelas Sonoras de São João del-Rei!

O livro é, pode-se dizer, a mais completa e detalhada obra já produzida sobre os sinos de São João del-Rei. Suas 168 páginas reúnem informações técnicas e contextuais, histórias e estórias dos sinos e dos sineiros, recolhidas, organizadas e relatadas por um autor que é mestre no assunto. Que desde menino subiu às torres para dobrar sinos, por influência de seu pai, que também semeou pelos ares, no vale do Lenheiro, dobres e repiques, tencões, floreados, ângelus, clens, tanquins, tens-tolins e terentenas. Estes são nomes de alguns toques de sinos locais.

Rico de glossários, descrições, explicações, ilustrações e imagens, o livro pesquisa a história dos sinos desde o tempo advento de Nosso Senhor Jesus Cristo, no Oriente, e o situa na São João del-Rei do século XXI. Conta como sua linguagem foi codificada, no século XVIII e, vencendo o tempo adverso, permanece viva e apaixonante para os sineiros, para são-joanenses e não-sãojoanenses.

Oferecendo também para os pesquisadores uma vasta bibliografia sobre o assunto, inclusive de sites, vídeos e documentos eletrônicos, o livro mostra a base científica que, ao lado da vivência pessoal do autor e da pesquisa de campo, fundamentou sua produção.

E para brindar outros sentidos, traz encartado um DVD com o inventário campanológico das igrejas de São João del-Rei, um documentário sobre o funcionamento das torres e o ofício dos sineiros, além do samba carnavalesco Sentinelas Sonoras do Bloco Unidos da Cambalhota (2008) e também do toque que é considerado o mais singular e sofisticado toque de sino de São João del-Rei: A Senhora é morta, executado unicamente na noite do dia 13 e em todo o dia 14 de agosto, pela morte de Nossa Senhora.

Vá ao Youtube, acesse http://www.youtube.com/watch?v=ACZ_4zxojXQ e veja / ouça o toque A Senhora é morta, gravado pelo exímio sineiro Helvécio Benigno.Você vai se surpreender com a beleza dos sons e das imagens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário