sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Alegria, confete, folia e serpentina. "Embolada" de blocos no Carnaval 2016 de São João del-Rei

Impossível duvidar: o espírito do povo de São João del-Rei é barrocamente celebrativo e prova disto é o gosto das pessoas desta terra por manifestações coletivas que se concentram em largos e depois se arrastam pelas ruas, como por exemplo procissões, desfiles, cortejos, cordões e coisas assim.

É por este espírito celebrativo que o Carnaval de São João del-Rei sempre ultrapassa os tradicionais três dias de folia e em 2016, mesmo sem o brilho insubstituível das escolas de samba, durará nada menos do que 18 dias, ou seja, mais do que duas e meia semanas de alegria. Serão 47 blocos na rua, com nomes tão sem noção que até se embaraçam nesta segunda embolada. Quer ver?

Bora, à Zero Hora, tomar Birinight no Alambique, curtir Block'n Roll  até a Alvorada chegar, na maior e mais alucinada Tacofolia? Ora, esquece que você tem Copo Sujo e Banda Mole, é Lesma Lerda e vive na lama do maior Pantanal

Anima, vamos lá, Deixe o Mundo Girar até ficar tonto, redondo, virar Cambalhota, escorregar na casca da banana e engolir o caroço do Abacate, deslizar macio goela abaixo igual Cachaça com Mel. Mas depois, não Chora Borel! Olha lá, Se Mamãe Deixar, vou comer Arroz Doce com os Amigos da Regê, zoar muita Trincação até amolecer o Coração Rubro-Negro, amarrar o João Alvarenga com o famoso Cordão da Zona e internar na Santa Casa. Ele anda mal da Saúde, um verdadeiro Aragê escondido na Caixinha de Bambu enterrada lá na Chácara onde o Judas perdeu as botas, o Galo canta, janta e os males espanta.

Na Beira daquela Ponte tem muitas Domésticas escondendo as Pérolas no fundo da Mala, desembrulhando e chupando o Pirulito, lambendo os beiços e depois Arrastando o Resto para o animado e saudoso Carnaval de Antigamente. Falando nisto, Vamos a La Playa, lavar a roupa e a alma, surfar na onda e tomar uma Curimbada? Como "Custa Mas Vae", mas não custa nada, Só Não Vai Quem não Quer. É verdade,   Até Parece Mentira, mas, quem diria, eu vi o Gato de Botas soltinho, leve e pirado no Largo do Carmo, a milcercado de Piranhas aprontando sem dó nem vergonha  a maior Bandalheira: ê Trem Bão sô!...
..........................................................................

Texto: Antonio Emilio da Costa
Foto: G-1



Nenhum comentário:

Postar um comentário