sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Irmandade dos Passos homenageia, com um belo monumento, os irmãos finados


Entre os vários territórios de lembrança, cultura e memória de São João del-Rei, os cemitérios estão em toda parte, sempre à vista, lembrando a todos que o tempo é breve e a existência passageira. É isto o que dizem seus portões, dísticos, símbolos e iconografias.
Este ano, o Cemitério da Irmandade do Senhor Bom Jesus dos Passos, ou Cemitério dos Passos, como é chamado na intimidade, ganhou um novo monumento: um Cristo carregando a cruz, sobre uma base de mármore, onde estão em baixo relevo os estigmas da Paixão, que é o escudo-brasão da Irmandade, e o nome daquele campo santo.
O Cemitério dos Passos, aliás, tem o mais antigo monumento funerário do Cemitério da Matriz do Pilar, que fica no alto da Muxinga e é dividido em cinco partes, cada uma pertencente às irmandades do Santíssimo Sacramento, Senhor dos Passos, São Miguel e Almas, Nossa Senhora da Boa Morte e Santo Antônio. Trata-se de uma sepultura erigida no começo do século XX, em mármore branco, com belos relevos e uma comovente mensagem de lágrimas, do filho Rogério de Mattos para a mãe, Prudenciana de Mattos, falecida em 8 de março de 1914. Tem na cabeceira uma cruz muito artística, enfeitada com folhas tristes e flores chorosas. Servindo como base e apoio, uma pedreira, com uma rosa sonolenta - tudo em mármore branco, marcado pelo tempo centenário.
A Irmandade dos Passos, fundada há mais de três séculos, precisamente em 1734, é uma das mais antigas de São João del-Rei e responsável pela mais longa e tradicional celebração da Semana Santa são-joanense: a Celebração dos Passos de Nosso Senhor Jesus Cristo a caminho do Calvário. Popularmente conhecida como 'Festa de Passos', ela dura cerca de 40 dias, quando acontecem três Vias Sacras Solenes, duas procissões de depósito, duas rasouras, a Procissão do Encontro, o Setenário das Dores e a Procissão da Soledade de Nossa Senhora, ou das Lágrimas, como a chamavam antigamente.
Além de promover todas estas solenidades e de encarregar-se da missa noturna de todas as sextas-feiras, a Irmandade também é responsável pela preservação dos cinco grandes oratórios, que são os Passinhos da Paixão, e da capela-passo de Nossa Senhora da Piedade.

Muito zelosa, competente e dedicada no cumprimento de sua missão, a Irmandade estendeu seus cuidados até o cemitério onde estão sepultados os irmãos, e a primeira realização que prova isto foi a inauguração do monumento ao Senhor dos Passos, no dia 2 de novembro deste ano, em homenagem aos Finados. Certamente a sepultura secular de mármore branco de dona Prudenciana, por seu valor como patrimônio estético, artístico e histórico, também merecerá a atenção e o zelo da Irmandade dos Passos.
Texto e fotos 2, 3 e 4: Antonio Emilio da Costa
Foto 1 - Anthony Claret Moura Neri



Nenhum comentário:

Postar um comentário