sábado, 20 de fevereiro de 2016

São João del-Rei e suas esquinas. São João del-Rei e suas sinas. São João del-Rei & outras Minas!


A escolha do nome São João del-Rei, dedicando a Vila erigida em 1713 em honra ao faustoso Rei Sol Português D. João V, selou para a cidade um destino luminoso. A cidade reluz como ouro, brilha como o astro-rei, pulsa como um coração apaixonado, sopra como uma brisa suave, murmura como a confessar um carinhoso segredo de amor. São João del-Rei é festa, é luz, é música, é arte, é vida, é devoção, é gozo. São João del-Rei é inspiração.

Tanto é assim que no ano passado a cidade ganhou parte do título de um livro e vários poemas do escritor Nelson Di Francesco, paulista da capital do estado bandeirante, apaixonado por São João del-Rei desde que aqui veio pela primeira vez, há coisa de dez anos. A obra, chamada São João d'El-Rey e outras Minas, foi lançada em 2015 e reúne poemas, crônicas, reflexões poéticas, pensamentos, sentimentos e percepções do autor sobre o universo histórico-barroco destas coloniais cidades alterosas, visto e sentido, principalmente, a partir desta terra de El Rey.

Nelson Di Francesco é apaixonado pela cidade: seu casario, suas ruas sinuosas, suas igrejas de muitos sinos e exércitos de anjos, seu chão de pedras, seus becos serpentinos apertados por casas tortas, seus doces, seus sabores, seus temperos, sua rica e musical sonoridade, sua tradicional religiosidade, sua gente simples, alegre, comedida, digna, generosa, modesta, acanhada, humilde, simpática, mineira.

Tudo isto ele nos mostra, com um olhar a um só tempo contemplativo e contemporâneo, em seu livro, que já está caminhando para a 3a edição, de tiragens muito limitadas. Tão minimamente limitadas que os exemplares bem poderiam ser numerados, como são as xilogravuras, litogravuras, gravuras em metal e outras obras de arte.

Nosso autor é de tal modo são-joanamente enfeitiçado que por duas vezes ao ano passa uma temporada na cidade.  Já pensou até em se mudar para cá, mas por enquanto alimenta esta paixão a uma certa distância, com o romantismo de antigamente, quando se namorava por correspondência.

Sua simbiose com São João del-Rei é tamanha que, quem o ver andando pelas ruas e largos da cidade certamente pensará que ele é o mais comum dos são-joanenses. E se algum desconfiado ou incrédulo lhe perguntar a origem, a resposta virá rápida, sincera, convicta e decidida: "sou são-joanense de coração"!

Ah, onde encontrar e como adquirir o livro? Na agência de turismo Rumos em Rotas (Rua da Prata), na Pousada Estação do Trem (Praça da Estação) e diretamente com o autor, pela internet / facebook






Nenhum comentário:

Postar um comentário